Post MUITO indignado

OBS ADICIONADA:
Olhem só, esse post é sobre princípios do jornalismo e minhas dúvidas sobre o que eu aprendi em 4 anos de faculdade e estágios e o que eu vejo na prática, na área que eu quero trabalhar.

Não avaliei méritos e erros do Fashion Rio – até porque não tenho méritos para isso e estava lá para cobrir o evento como um todo (para o meu trabalho oficial) e fazer pautas para as próximas edições, não como jornalista de moda.

O bafão mencionado que me deixou chocada foi uma coisa isolada de um veículo e um pequeno grupo de jornalistas.

Agora segue o post original:

Estou indignada!

Fiquei sabendo hoje de uma história… absurda! Ainda não decidi se vou contar o que foi ou não. Eu sou do tipo de jornalista que teve aula de ética e prestou atenção (apesar de que avisar que soube e não contar é fogo).
Mas a tal história que me deixou indignada levantou algumas questões. Aliás, sempre tive esses questionamentos e agora a raivinha me fez verbalizá-los melhor.
Primeiro, sinto uma certa implicância de jornalistas com o Fashion Rio, principalmente os de São Paulo. Óbvio que não são todos, ÓBVIO, a maioria esmagadora é séria que procura ser o mais imparcial possível. Alcino, Carol Vasone, o trio do Chic que faz as críticas (Gloria, Milene e Jorge), etc etc etc. Mas leio algumas matérias que erram no tom colocando defeito em absolutamente TUDO do Fashion Rio.
Eu faço críticas ao evento a coisas que poxa, não estão dando muito certo mesmo. Cadê a comida da sala de imprensa? Cheguei a ficar tonta na segunda-feira de fome. No restaurante da Marina (um deles é japonês e eu não como), as comidas ficam geladas à noite e o preço caro inibe. Então o jeito para matar a fome de quem trabalhou o dia todo na correria, seria as frutinhas e amendoins da Sala de Imprensa.
Outro, achei que o esquema do Fashion Container não foi muito bem explicado: o que vai ser desfile, o que vai ser performance? E com o calor inesperado para a époda do ano, entrar num container de aço é fogo! Hoje dei entrevista para a Nina Lemos e Ale Farah sobre esses assuntos, espero que seja bem interpretada nas matérias das colegas de profissão (e confio nelas porque são do bem).
Se sempre teve espaço para duas (e TEM que ter para muuuuuuito mais) semanas de moda no Brasil, por que essa picuinha? Se não gosta de vir ao Rio, se não gosta das marcas, das celebridades, não venha! Tem muito estagiário doido pra vir – é bom que ele adquire experiência. SPFW é o máximo, Dragão Fashion, Oi Fashion, tudo! O importante é dar valor à NOSSA moda, porque ela é uma indústria importante!
Algum jornalista ficou rindo da Zoomp porque ela saiu do SPFW por falta de verba? Eu achei uma perda, um péssimo sinal que uma marca tão grande e já com tantos anos de estrada, chegar neste ponto.
E nem vou entrar no assunto cópias, porque essa vai dar outro post.
Outra é o assunto da roda: moda e seu pequeno mundinho. Fashionista se acha detentor do poder de saber quem tem estilo ou não, quem está certo ou não está. Mal sabem eles (porque a maioria só convive com pessoas do meio), que a maioria dos mortais acha a maioria dos looks idolatrados ridículo. E basta sair disso e olhar com um olhar mais leigo e ver que é mesmo. Sempre deixei clara minha implicância com ankle boots. Mas use quem quiser, quem achar que fica bonito… Eu não gosto e não uso, não vou escrever no meu blog rindo de alguém que usa.
Uma coisa são pessoas que se limitam e se escondem nas roupas – fruto de “imensa baixa” auto-estima. Eu já fui assim. Para essas pessoas, casos como Trinny e Susannah são salvação! (Sem padronização, porém).
Outra é você aplicar seu gosto pessoal e conhecimento de tendências e história da moda para depreciar publicamente os outros. Todo mundo têm suas opiniões e pode até achar graça dos outros. Mas respeito é tão bom, gente… Rir de si mesmo é uma arte, mas ninguém gosta de ser motivo de piada de mal gosto.
Sem mais.
Anúncios

16 opiniões sobre “Post MUITO indignado”

  1. Márcia,
    muito bom! Sempre me incomodou esse olhar para o próprio umbigo, além de uma “babação” só por fulano ser a, b ou c, sem que haja um olhar crítico e analítico. Por mais que moda seja uma delícia, o mundo tem coisas mais interessantes e importantes.
    Parabéns.

  2. Realmente, seu post merece meu interesse. Já acesso seu blog, mas é a primeira vez que comento. Compartilho de muitas idéias suas. Infelizmente, há sempre “alguns” que pensam poder ditar normas e regras quanto à moda. Parabéns pelo desabafo tão necessário. Abraços, Sheyla.

  3. Adorei o post, assino embaixo, mas tô morrendo de curiosidade sobre o “incidente”. Conta aí!!!!
    Bjão

  4. Oi Márcia, não sou jornalista ou crítica de moda, mas sempre estive envolvida por conta de ter tido loja de roupas, hoje perfumaria etc e tal, mas concordo plenamente com tudo que vc escreveu e tbm acho o cúmulo essa picuinha que existe na moda, que SP é melhor que Rio, que é melhor que BH que é melhor que Bahia etc etc etc e que tal estilista é melhor ou pior que o fulano, claro que cada um tem seu gosto pessoal, mas nem por isso precisamos “atacar” o outro, com palavras, indiretas ou olhar enviesado.
    Sou paulista e assino em baixo sua indignação. Bjobjo

  5. Olá
    Adorei o blog.
    Adoro desabafos… normalmente é nessa hora q falamos as maiores verdades.
    Passarei sempre por aqui.
    Parabens.
    Ah! Da uma olhada no meu e me diz oq achou… sou nova nisso e sempre é bom ouvir a opinião de quem a gente ve q faz bem feito.
    http://www.pensoemtudo.blogspot.com

  6. Olá Márcia, cheguei aqui por indicação do Oficina de Estilo, também fiquei indignado com a falta de respeito de alguns jornalistas com os criadores. Uma tirania de quem tem o poder do espaço na mídia. Enfim,gostei do que escreveu e acho que tá na hora dos profissionais reverem seus conceitos sobre análises e coberturas de desfiles ou de pelo menos fazerem jus a porção inteligente que os colocaram nesta profissão .

  7. Na parte de Estilo da Vogue deste mês saiu uma matéria com a top Isabeli Fontana no qual ela responde a seguinte pergunta : Maior erro fashion ? “Falar mal das roupas e do estilo alheios e tentar apontar certos e errados da moda.”

    Acredito que, na verdade, o importante é que as pessoas se sintam livres para se expressarem com acham que devem e, a moda está ai para ajudar-nos a nos expressarmos. Julgar alguém pelo o que ela veste é o maior erro de muitas pessoas nessa indústria.

  8. Também creio que desabonar pessoas por causa de roupas e gostos pessoais é falta do que fazer. Mais vale a liberdade de expressão do que a prisão das regras! Gosto de moda e comecei há pouco um blog bem maluquinho. Passe por lá qualquer hora: http://www.fabricademoda.blogspot.com. Beijos!

  9. Márcia, arrasou no post, acho que as pessoas estão tão obcecadas por regrinhas da moda que simplesmente esqueçem seu gosto pessoal e quanto a depreciar o trabalho de um estilista, por favor, não existe nada mais feio e não só no mundo da moda, mas em qualquer profissão!

    bjs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s