Um pouquinho de moda, emancipação da mulher e namorados

Foto de um blazer do Armani nos anos 80

Outro dia, numa mesa de restaurante a quilo, uma moça deu um conselho a outra, que estava com problemas no namoro refletindo na atuação profissional:

– Olha só, não deixa isso atrapalhar no trabalho. Namorado a gente arranja muito fácil, já emprego…

Fiquei surpresa com a frase porque penso que talvez o namorado seja beeeem mais difícil de encontrar do que emprego. Na verdade, os dois são fáceis, o difícil é achar os que trazem melhor custo-benefício.
Mas todo esse lance de vida profissional x vida afetiva me levou a uma avaliação sobre a atual moda das peças do “namorado”. Eu mesma já fiz um post sobre, apesar de não ser adepta. Na verdade, quem vai além das tendencinhas da vez sabe que esse lance de peças masculinizadas, apareceu com força na moda, na vez mais recente, nos anos 80, quando a mulher estava lutando com o homem pelos postos de liderança em empresas. Nas décadas anteriores, as mulheres já haviam entrado no mercado de trabalho e vinham se emancipando (trabalho aliado com a revolução sexual e a invenção da pílula). Mas nos anos 80, as primeiras começavam a chegar em postos de chefia e precisavam se masculinizar para mostrarem que estavam a altura.


Foto do filme “Secretária do Futuro”, figurino das moças bem masculinizados, apesar dos toques mulherzinha, no make e acessórios.

Hoje, em 2009, já chegamos lá – embora ainda temos alguns degrauzinhos. Eu mesma, sempre trabalhei em lugares onde as mulheres eram maioria (se não 100%) e quase sempre tive chefes mulheres. O que as mulheres lutam agora é pela tentativa de equilibrar as conquistas profissionais com a vida afetiva.

Hello, por que pipocam livros e filmes de auto-ajuda do tipo “Ele não está a fim de você”? ou “Os homens são de marte e é pra lá que eu vou!”, ou mesmo “Sex and the city”? Carrie quase nunca falava da sua vida profissional, a série toda girava em torno da vida afetiva das protagonistas.

Então, não é sintomático que hoje essas peças masculinizadas ganharam apelido de “peça X do namorado”? Porque é preciso ter um namorado para roubar do guarda-roupa dele (ou então fingir que tem um, usando a peça), não? Não que esses dois casos aconteçam de fato, mas acho bem sintomático. Talvez nos anos 80, essas peças se chamassem “blazer da executiva”.

Será que minha recusa em usar tais peças também seja sintomática? HAHAHAH
Freud explica? Quero continuar mulherzinha… Porque, como diria Portishead, “I just wanna be a woman!”

12 opiniões sobre “Um pouquinho de moda, emancipação da mulher e namorados”

  1. “Então, não é sintomático que hoje essas peças masculinizadas ganharam apelido de “peça X do namorado”? Porque é preciso ter um namorado para roubar do guarda-roupa dele (ou então fingir que tem um, usando a peça), não? Não que esses dois casos aconteçam de fato, mas acho bem sintomático. Talvez nos anos 80, essas peças se chamassem “blazer da executiva”.”

    Amiga, arrasooooou no texto, mas confesso que a senhora dizer que na busca por trabalho ou por namorado o difícil é encontrar os que melhor trazem custo-benefício eu senti uma vibe “pensamento-prático-e-nada-romântico do namorado”, ou, mais especificamente falando, “pensamento-prático-e-nada-romântico de qualquer ser humano que se apresente como do sexo masculino”.

    Hehehe… Freud realmente explica?

  2. vou ser sincera e tbm prefiro a feminilidade!mas só um toque do guarda roupa masculino como peças de alfaiataria ou um suspensório deixam o look atual na maioria das vezes, sou adepta à mesclagem dos dois mermo!

    NÃO HÁ MAL NENHUM EM SER MULHERZINHA POXA!

  3. tati, acertou se quis dizer que esse tipo de pensamento prático é o da pessoa envolvida, e não o meu heheheheheheheh

    e paulo, sempre achei que as pessoas do seu target tinham mais bom gosto que as do meu HAHAHA

    e para os novatos, bem vindos!

  4. oi marcia, acho que nem uma entre dez mulheres que aderiram essa moda realmente pegaram do armário dos namorados. ou seja, no nome só mesmo a referência da modelagem masculina (tá longe de ser uma idéia de “vamos economizar e aumentar nossas opções usando, realmente, as peças do armário dele).

    a ellus lançou a coleção e até colocou legenda nelas (veja a terceira imagem):

    http://chic.ig.com.br/materias/511001-511500/511052/511052_1.html

    então… se no momento o que vale mesmo é a referência masculina, para ser mais abrangente e ninguém se sentir de fora, podia se chamar a “peça X dele”. aí cada um projeta o homem que quer: o pai, o ficante de uma noite, o primo, o amigo e ect.

    beijos

  5. Oi Márcia. Sou meio novata, mas tô tipo amando seu blog. Fiquei meio pensativa também com essa história de roupas do namorado…Mas gosto dessas coisas da moda de dar uma `subvertida` em algumas peças. Solteira, não pensei duas vezes: apelei pro meu pai. Saí usando uma camisa social dele (que é mto mais chic que eu, a camisa era Dior!), que ficou enorme, debaixo de um terninho meu, um pouco menor. Várias pessoas comentaram que gostaram. Enfim, só para comentar teu texto tão legal, com uma historinha. Talvez por essas e outras seja bom estudar moda: para perceber a tendência como a Helena falou, como forma de ampliar as possibilidades com o guarda-roupa masculino. Agora, para não se deixar afetar pela nomenclatura que pode parecer um tanto retrógrada, são outros 500…

    Bjos

  6. Filha, resolvi me jogar nas letras e dar vazão à imaginação (já que sou praticamente a versão feminina do Lucas Silva e Silva e vivo no Mundo da Lua) fazendo um curso de roteiro de cinema. Bom, visto que adoro escrever e que tô a um passo do lunatismo, tá bafo né?! Mas ó – inventar estória pra gente mesmo é tão mais fácil!!!!

    Será fuga? Será que Freud continua explicando?

    Ai ai…

  7. Eeeeeeeeeeeee, adorei ver a Le (Leticia Santos, aí de cima) por aqui!!!!! Heleninha amigaaaa!!!!!!!

    Bora ficar todo mundo colééga de interrnet!

  8. Amiiigaaa Tatiii, lembrei que vc falou dela e vim aqui xeretar, né? O que vc fala, eu escrevo, haha! E tou mega adorando esse blog, vou vir todo dia!

    Suas lindas!

    Bjos

  9. A-M-E-I o blog!! e esse post entao tá mto bom heheh o babado do custo-beneficio foi oteeema hauahh bjos!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s