Estilo, moda e essa confusão na nossa cabeça


Para achar uma foto para o post, digitei “fashion victim” no Google. Acabei encontrando a foto e o flickr da fotógrafa, beeem legal, cliquem aqui.

Antes de mais nada, queria deixar bem claro que não me excluo do tipo de erro que trato neste post nem me acho detentora de um estilo. No inverno, mais ainda, porque não sei me vestir no frio e não tenho muito com o que variar. Por isso, o texto é apenas uma reflexão que tive ao reler posts antigos da Oficina. Pensei sobre tentativas sobre ser criativo, a dificuldade de encontrar um estilo e as ondas que vêm com a moda.

Hoje estava caminhando pelas ruas do bairro onde eu trabalho e veio um grupo de amigas conversando animadamente. Em SP, o dia estava cinzento e com aquela garoinha “chove, mas não molha”, a visão do grupo bagunçou minha vista. Era uma profusão de cores e elementos misturados que me chamou a atenção na hora, mas ao mesmo tempo não dava uma sensação legal. Não só o conjunto de amigas, mas cada uma delas era uma bagunça visual imensa.

Muitas pessoas são mestres nesse mix louco de elementos, burlando a regrinha ótima dos 10 pontos. Estes sabem quebrar as regras – não sei como, talvez nem eles, mas sabem. Como a Susie Bubble, por exemplo, que faz uns looks bem carregados de informações, mas, na maioria das vezes, harmônicos ou com uma desarmonia esteticamente agradável.

Mas este grupo de amigas queria usar tudo agora neste minuto. Talvez porque assim elas transmitissem uma mensagem de “sou criativa” e, como estavam todas saindo de uma casa onde funciona uma agência, elas precisassem MESMO transmitir isso por questões de mercado de trabalho.

Por isso que eu acho que encontrar o seu estilo é quase um milagre! É muito mais fácil seguir o que aparece a toda hora por aí, muito mais acessível. Se misturar estampas, texturas, fazer coordenações de cores diferentes está na moda, precisamos fazer tudo isso junto se não sabemos muito bem ou se isso não tem nada a ver com o nosso estilo?

Pode ser que elas estivessem seguras de que aquilo que usavam era o melhor pra elas e elas estavam maravilhosas – e este sentimento de segurança é parte muito importante para se achar um estilo. Mas eu acredito que quando essa segurança é real, o olhar do outro vai compreender a proposta da mensagem do visual, mesmo com estranhamento – caso não for do gosto dele. No caso das meninas, foi um estilo muito mais para se afirmar ser alguma coisa do que realmente ser. Nossos discursos nem sempre transparecem o real, a verdade. Mas alguns são muito mais forçados que outros… há maneiras de parecer mais natural.

Depois disso eu fiquei pensando sobre o meu jeito de vestir e cheguei a conclusão que estilo é uma construção e não podemos apressar as coisas ou o prédio fica capenga. A gente vai construindo aos poucos, treinando o olhar, se conhecendo. E mudar demanda um pouco de $ também, e aí eu estou preferindo investir na minha formação – até porque ela vai me dar um background muito maior para ir além da moda e chegar ao estilo (além da formação profissional, claaaaro).

Por isso que a próxima aquisição é o livro do Grumbach!

5 opiniões sobre “Estilo, moda e essa confusão na nossa cabeça”

  1. olá, me desculpe invadir este espaço, mas estou divulgando um post que escrevi no meu blog com o relato de uma experiência que tive de compra de bolsa falsificada pensando que era original. talvez algumas leitoras aqui já tenham ficado tentadas a comprar bolsas pelo mercado livre, e essa é uma das razões pelas quais considero o assunto interesse público. quem quiser conhecer a história e se informar um pouco mais sobre como se defender desse tipo de golpe, acesse: http://dacordeseuvestido.blogspot.com/2009/07/minha-nemesis-arqui-inimiga-e-candidata.html

  2. Esses dias, numa discussão virtual sobre moda, alguém disse que usar cores neutras é chato, que todos precisam ter atitude pra combinar cores, que amarelo e roxo é super legal. Sim, é legal mesmo combinar cores, mesmo que seja verde e vermelho, mas pra quem tem esse gosto. Hoje em dia não existe mais regras na moda, uso cores se e quando eu quiser. Fiquei indignada com as pessoas criticando os looks só de cores neutras e aposto que algumas pessoas que fizeram isso usam roxo e amarelo só pra se sentirem mais ousadas ou whatever, mas agora todo mundo tem que ser ousado? Amei seu post.

  3. Márcia, essa discussão vai longe, né? Eu sempre acho que meu estilo é confuso, hahaha. Mas depois fico achando que dentro de sua confusão tem uma coerência. Uma coisa hormônios, depende do humor, hehehe! Eu super admiro aquelas pessoas que parecem ter um estilo muito único, próprio, e que parece ir além de tendências e modismos. Quero ser assim quando crescer!

    Ahhhh, vi aqui no Bainha – que não tenho twitter – vc me elogiando lá, hahaha! Obrigada, amada!

    Beijão

  4. Ei Marcia!!!
    Descobri seu blog e alguma das minhas andanças bloguisticas e ADOREI! Li quase todos os seus posts dessa pagina!!!
    E concordo que muitas vezes as pessoas pegam todos os bons "truques" da moda e montam um look só… sem personalidade e bom senso…
    jah te linkei la no meu bloguinho!
    http://www.agifferentblog.blogspot.com
    da uma passadinha la!
    bjaooo

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s