Textura é o novo preto

Sabe aquela coisa que você escuta uma vez, não lembra quem disse, em que contexto, mas grava? Pois é, eu gravei o que algum profeta da moda (pessoas que pensam nas tendências antes de todo mundo) disse: no momento atual e no futuro próximo, as inovações têxteis serão muito mais importantes na moda do que as inovações da forma, comprimentos, etc – até porque nestes a moda já deu o que tinha pra dar (será?)

Pois parece que esse profeta que eu esqueci o nome estava certo, se formos pensar nos últimos desfiles brasileiros. A Ana Cristina Reis, em sua coluna no Caderno Ela, do Globo, até comentou que o que mais se ouvia dos estilistas era a palavra “textura”. Novos tecidos com as novas (e tão faladas) texturas, mistura delas, tecnologia, ousadia, brilho, fosco, áspero. São muitas palavras que podemos usar.

Alguns tecidos e suas texturas que apareceram que nem água nos desfiles, nós sabemos o nome. Veludo molhado, lurex, couro, camurça, lã. Outras, truques pros nossos olhos, o chamado  “tromp l’oeil”. Outras, as novidades, não conhecemos ainda. Se a moda caminhar mesmo pra esta direção de inovações incríveis na área têxtil, vai ficar cada vez mais difícil ver desfiles de longe ou sem poder tocar nas roupas. As fotos de detalhes que alguns sites disponibilizam ajudam, mas podem enganar os olhos dos leigos e até mesmo dos especialistas.

Abaixo, algumas texturas e misturas delas (novas ou óbvias) que achei legais e  roubei do site FFW (que coloca os detalhes, para a alegria dos espectadores distantes!):

             Animale

     Juliana Jabour

Lino Villaventura (mas no caso dele, as texturas diferentes e suas misturas não são novidade, é estilo)

 Melk Z Da, outro que também sempre trabalha explorando texturas

      Reserva. Seria isso um tromp l’oeil ou um tricô pintado depois de ter sido tricotado?

       Ronaldo Fraga

5 opiniões sobre “Textura é o novo preto”

  1. Acertou no ponto, Marcia!
    Em breve, não será possível apenas ver as fotos, com ou sem detalhes, será preciso tocar e estar perto das roupas tamanha é a inovação têxtil. No desfile feminino do Herchcovitch, por exemplo, foi um mix de materiais que deu a aparência de tweed — mas ninguém saberia caso Palomino não contasse em sua review no FFW…
    E não consegui comentar no post abaixo, mas pode contar comigo para sua pesquisa!
    Beijos

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s