Pense Moda: Moda na Internet

Ontem começou mais um Pense Moda, evento que pretende discutir questões que envolvem arte, tecnologia, comunicação, comportamento; enfim, várias áreas onde podemos inserir a Moda, como o próprio nome já diz. Uma iniciativa muito legal e que, a cada edição, atrai mais holofotes. Durante a mesa redonda de ontem, a tag #pensemoda2010 chegou até a figurar no Trending Topics Brasil, no Twitter.

A primeira parte de ontem, uma palestra com os Hilton Brothers, eu não consegui acompanhar pela internet – a minha conexão estava ruim. Mas a segunda, uma mesa redonda sobre como as ferramentas da internet renovam a comunicação de moda, eu consegui ver.

Começou meio morna e tratando de temas que já estão meio batidos nesse universo de comunicação online. Mas, na hora que começaram as perguntas para a plateia, o clima esquentou. As pessoas levantaram algumas questões que gostaria de comentar aqui:

Rapidez X Conteúdo

Não nego a imensa importância da tecnologia nas nossas vidas hoje e o tanto de coisa boa e interação que ela nos traz. Além disso, hoje em dia, temos acesso a muito mais informações, e de fontes variadas, que antes. E também há mais democracia na produção de conteúdo – ou então eu não estaria aqui com este blog, escrevendo pra quem quisesse ler.

Mas como foi bem levantado por algumas pessoas na plateia e pelo stylist Paulo Martinez (que participava da mesa e deveria participar de TODAS!), a quantidade de informação e a rapidez com que as novas ferramentas nos apresentam essa avalanche de referências acaba nos atrapalhando na construção de conteúdos interessantes.

Como não concordar com isso? O tempo que perdemos pulando de galho em galho na internet é absurdo! Ao invés de pararmos por algum tempo, prestar atenção e interpretar a informação para, daí sim, criar um conteúdo nosso. Podem me chamar de romântica e saudosista, mas eu sou mesmo. De um tempo que eu nem vivi. Porque sinto que eu poderia produzir muito mais se tivesse metade das redes sociais e sites e mil blogs pra olhar. Como disse o Paulo Martinez, é possível encontrar muita coisa boa, mas perde-se muito tempo limpando o lixo.

Sim, depende de cada um, mas tudo na vida depende de cada um (by Paulo Martinez, meu candidato à presidente). Eu poderia ser mais disciplinada e focada, mas sou da geração Y e fui criada assim. Só que, ao contrário de muitos “irmãos” de geração, acho que essa transição de mundos poderia ter aproveitado a consciência para a importância do conteúdo de antes.

O que me assusta entre os novos profissionais de mídias digitais – os cérebros que pensam em novas estratégias de comunicação para estes veículos – é que eles são extremamente jovens (mais que eu, que tenho 26 e já sou “velha”), e extremamente crentes de que zilhões de boas informações valem mais do que dezenas bem pensadas.

Será que eles não sofrem das mesmas crises de ansiedade que eu sofro, pela quantidade de informações a serem processadas e pelo nervoso das coisas acabarem do nada, da efemeridade das coisas? (Mais aqui e aqui).

Sinceramente, temo as conseqüências desse esvaziamento de conteúdos elaborados – principalmente no meio de comunicação de moda. (Este post, por exemplo. Duvido que alguém vá ler até o final)

Blogs de Moda

Uma pessoa na platéia comentou que vê blogueiros cobrarem produtos e brindes de marcas – o que acha chocante (eu também). E também comentou que as marcas, em ações para blogueiros, sempre chamam os mesmos e se isso não faria o público gravar mais o nome das autoras do que os das marcas. Alguns dos debatedores comentaram que isso acontece porque os blogs estão se profissionalizando e por isso apenas eles são chamados.

Por que um blog só é bom se tem mídia kit? Ter anúncio é ser profissional? Ser profissional é sinônimo de qualidade? Não, é apenas fazer do blog sua fonte de renda, mas o que vemos por aí é que muitos blogueiros perdem o foco quando o fazem e o seu texto perde espontaneidade (e qualidade também).

Acho importante que alguém que queira começar a escrever num espaço seu tenha, em primeiro lugar, noção da grande responsabilidade do que está publicando. Você terá leitores e poderá influenciar as escolhas das pessoas. Liberdade de expressão não é sinônimo de irresponsabilidade sobre o que escreve. Liberdade de expressão não é válvula de escape. Não é manifestação de suas implicâncias pessoais. E se seu texto for isso, avise! Afinal, blog começou como um “diário”.

Mais do que ter um mídia kit, ser ético é essencial para ser um bom blogueiro. PENA que a algumas marcas de moda e suas agências ainda não concordam comigo.

14 opiniões sobre “Pense Moda: Moda na Internet”

  1. Li tudo até o final hein ^^
    Bom, também temo o esvaziamento de conteúdos elaborados, mas ao mesmo tempo que temo, fujo um pouco desses conteúdos…sou preguiçoooosa…contudo, entretanto, todavia se vejo que o assunto vale a pena eu paro e leio9como faço com a grande maioria dos seus posts).
    O que mais gostei desse seu resuminho foi a parte que fala do tempo que a gente perde limpando o lixo…eu perco muuuuuuuito tempo fazendo nada na internet fácil, fácil! Por isso tenho tentado buscar maneiras de focar minhas horas por aqui(na internet…), pra não cair no nadismo.

    Poste sempre, tô gostando da sua fase mais ativa ^^

  2. Muito bom o artigo! Concordo plenamente com a questão do excesso de informação e as consequências disso na sociedade.
    Resolvi começar um blog principalmente por perceber a carência de informação de verdade sem ter um fundo de jabá, e o quanto as pessoas que seguem estes blogs acreditam cegamente no que o que é escrito.
    Ainda ontem escrevi sobre a ética em blogs.
    Parabéns!

  3. Li até o final e concordo plenamente!!
    Também sofro de crises de ansiedade, passo mais tempo limpando o lixo, pulando de galho em galho…enfim…Ótimo post!
    TE sigo faz um tempo, mas é a primeira vez que comento!
    Beijos
    Dani Regis

  4. achei graça quando cheguei na parte ‘duvido que alguém vá ler até o final’ , dependendo do perfil, duvido que leiam, uma observação que tenho é que a maioria é leitor de legenda, aprofundar nunca e são viciados em wikipédia, tudo resumido num parágrafo, e param por ali. Aprofundar é um exercício que vem com a prática, tem blogs superficiais e blogs reflexivos, o bom é inquietar-se, a moda observada e debatida sob outro viés não a torna sisuda, a graça vem acrescida, sem o riso frouxo e fácil. Afinal a moral da moda é o lúdico ( particular). Quanto aos blogs que são patrocinados, tem um que antes era uma graça, hoje a pessoa se veste de forma nada criativa, é tanto jabá que ela virou um cabide sem resquício de identidade e sim com cara de “preciso pagar as contas”. Por incrível que pareça o mercado gosta de manipular quem tem algo a mais com money e nivelar por baixo o mercado.

  5. É verdade, é muito fácil perder tempo na internet por causa da quantidade de lixo que se vê nela, difícil é encontrar blogs que tenham conteúdo e sejam realmente interessantes.
    Apropósito, eu também li até o final, rsrsrs.

  6. Olá!
    Gostei muito do post. Concordo com as ideias defendidas. Como território livre, acho que blogs e leitores vão se ajustando, naturalmente, segundo suas identidades, necessidades.O mais importante é cada um definir (o que não é fácil diante da amplidão) o que espera encontrar de informações, pílulas, reflexões e por ai vai. Isso também acaba por definir a sua inserção, que tipo de blog vai fazer, a quem está falando, etc. Eu pensei nisso quando decidi fazer o meu blog. Mas também concordo que o tempo perdido para separar o ‘lixo’ do que é relevante é bastante grande.
    Abraço.
    Fernanda Junqueira

  7. Concordo com tudo o que você disse e li até o fim… Me “encontrei” nesse seu post!

    Só um comentário sobre a maioria das blogueiras que faz um super sucesso… O blog delas pode ter começado com algo construtivo, com vários textos e opiniões interessantes, não sei, mas hoje em dia quando entro nesses blogs “famosos” sinto como se fosse tudo uma grande mentira… elas ganham um produto daqui, outro produto dali, fazem propaganda disso, daquilo…mostram a nova coleção da marca…tudo por ibope, dinheiro, mais brindes, convites… cadê a parte relevante? cadê o conteúdo?

    bom é isso! parabéns pelo blog!

    beijos

  8. Parabéns Márcia, você sempre muito contundente no que escreve. Penso muito nisso tudo que você falou… e me sinto mais “normal” por saber que tem gente que ainda pensa assim como eu.

    Bjs

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s