Não faz a Mulberry!

Pra finalizar os posts sobre a minha viagem à Londres, uma breve auto-anedota:

Eu sempre gostei de moda, fiz cursos e uma pós numa faculdade tradicional, tenho este blog desde 2007, etc, etc, etc; mas não sou muito ligada em acompanhar o it-mundo da moda. Ou seja, não acompanho o estilo das celebridades e it-girls-blogueiras-ricas, nem suas peças preferidas. Não sei o nome de metade. Ok, profissionalmente falando, pode ser um gap e uma falha, mas como passei os últimos dois anos trabalhando AND estudando, gastava meu tempo na internet com outros tipos de pesquisas.

Como comentei no post passado, antes de ir pra Inglaterra, fiquei checando os sites das marcas de fast fashion. Reparei que todos tinham bolsas tipo pasta de colégio lindas e já me programei pra comprar uma quando chegasse lá, já que aqui no Brasil ainda não tinha visto nenhuma dessas. (Obs.: só circulo no meio do comércio popular, se tem nas grifes, eu não sei, não vejo hahaha).

Me apaixonei perdidamente por um modelo da Urban Outfitters, mas custava 50 libras (R$ 150, mais ou menos). Fiz uma combinação comigo mesma: no fim da viagem, me daria esse presente.

Só, que chegou no fim da viagem e TCHARAN! Quanto amadorismo meu. Esqueci que as lojas de fast fashion trocam os produtos com muita frequência. Quer dizer, cheguei na loja e cadê minha pasta? Não tinha mais. Nenhumazinha. DRAMA.

Me lembrei então que, em Notting Hill, tinha visto umas bolsas lindas nas lojinhas de roupas-que-tem-em-todos-os-lugares-de-Londres (como comentei no post). No meu último dia, fui até Notting Hill só pra comprar a bendita. Escolhi uma bege (caramelo, pros fashionistas) porque sentia falta de um acessório mais claro e talz. O dono da loja disse que só aceitava dinheiro em espécie, o que foi meio tenso porque – além de ser um sinal de atividades escusas, provavelmente – a Inglaterra vivia um caos aéreo e eu não tinha certeza que iria conseguir voltar. Por isso, não era pra eu gastar minhas libras em bobagens, mas sim guardá-las para emergências.

Mas a moda tem esse poder mágico de te fazer cometer atos insanos. Liguei o botãozinho do f&%$-se e levei. Provavelmente, algumas crianças chinesas deram seu sangue e suor para fabricá-la, mas entra aí outro poder lindo da moda, que é o de te transformar num insensível em prol do nosso gozo consumista.

Cheguei no Brasil (aliás, eu consegui um vôo no mesmo dia que era o meu, mas passei a noite no aeroporto embalada naquele negócio de alumínio, cool) e em janeiro tivemos o Fashion Rio. CLARO, pensei, que ia com a minha nova aquisição londrina. Se me perguntassem onde eu comprei, diria: “ah, numa lojinha em Notting Hill…”. Aquela coisa do charme secreto dos bairros cool. Quase como “de um artista plástico de Santa Teresa”.

Uma repórter do Chic me parou e pediu pra fotografar minha bolsa. Embora não admita publicamente (ok, estou admitindo agora), fiquei super “orgulhosa”: como assim eu, toda mal arrumada, iria sair no site da Gloria Kalil! Depois de feita a foto, a menina (uma querida, aliás), perguntou: “Ela é Mulberry mesmo? Não, né?”

TAN
TAN
TAAAAAAAAAAAAAANNNNN – MUITO DRAMA
Então a minha bolsa de lojinha de Notting Hill, quase uma testemunha do amor de Hugh Grant e Julia Roberts, era uma cópia de um modelo da Mulberry?

Corri pra sala de imprensa e pesquisei. MEU DEUS, QUE ANTA! É a it-bolsa da it-Alexa Chung. Aliás, a bolsa SE CHAMA Alexa e eu não sabia. Em que mundo fashion eu estava vivendo? Graças a Deus em um mais interessante, eu insisto em dizer. Mas enfim, comprei uma cópia deslavada, carreguei ela pro Fashion Rio e circulei na cova dos leões da moda – sem saber!

 
Estas são as duas Alexas, a Chung e a bolsa. Originais

 E esta é a genérica. Eu ainda comprei da MESMA cor que a mais famosinha. Castigo divino pela falta de informação! (Detalhe para as minhas fitas onde gravava clipes nos anos 90 ao fundo, beijos). Ok:  olhando bem, as ferragens são diferentes! YEAH!

Fiquei ainda mais tensa depois que a Hermès conseguiu o direito de proibir a 284 de vender a Birkin de moletom. MULBERRY, I’M SORRY, I DIDN’T KNOW! Já grito aqui para me defender. Vai que…

Também não vou parar de usar a bolsa, que é de um material bom e muito bem acabada (well done, crianças chinesas!). E também porque eu não estou trabalhando e não vou ficar gastando $$$ com bolsas se eu já tenho algumas. Por isso, minha Alexa Paraguaia vai comigo pro SPFW sim!

Mas que as criancinhas chinesas, se pudessem entrar na Internet e lessem português, ririam da minha cara de boba desinformada uma hora dessas, ah ririam…

PS. adicionado de última hora: Para o que? Paraguaia! Desculpa, não consigo NÃO fazer essa piada. É tique.

11 opiniões sobre “Não faz a Mulberry!”

  1. hahahaahhahahaa
    Também sou super desinformada sobre o it mundo fashion, não sou chegada a ele na verdade.
    Mas eu adorei seu post admitindo a desinformação.
    Sou fã do blog. Me identifico com seu jeito de pensar moda.
    besitos

  2. Esse é o risco que se corre por “não se informar” rsrs
    Se bem que, não sou a mais antenada do mundo e já tinha visto muuuuuuuuuitas vezes essa bolsa…o lado bom é que numa dessas a gente não tem tempo de ter preconceito com um peça ou de entrar na onda por entrar, compra por que acha bonito e ponto(que é o jeito mais legal de comprar).

  3. obrigada pelas palavras de apoio HAHAHAH

    Clarinha, não. HAHAHAHA mas a matéria sobre essas school bags também ainda não saiu. Mas acho que a Gloria vai me barrar, viu? hahaha

  4. hahaha, eu acho isso super legal, e é como a Talita falou você compra porque você gosta, não porque é a it-bag da it-girl eee da Mulberry! Talvez esse seu ponto de vista seja muito melhor do que de muitos( o meu por exemplo), mas como estou entrando aindo no mundinho fashion iria acabar sendo exilada por n motivos. Acho que moda o que você cria, usa ou compra deve vir ao seu gosto e não porque está simplesmente na moda. Vou usar uma frase que eu adoro do meu pai : a moda vai e vem, mas só que tem estilo que continua!
    eu não lembro muito mas é por ai o pensamento, hihi, adoro seu blog, sempre falo isso, mas eu gosto de declarar meu gosto pela sua escrita! beijos
    http://www.welovefashionrio.com

  5. Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!!!! Eu ri até com este post!!!! Desinformação fashionista faz parte de um cérebro criativo, querida. Não se culpe. Com tanta coisa rolando por aí, como gerar novas idéias, ou melhor, idéias reestilizadas??? Mas a bolsa é lindaaaaaaaaaa mesmo. E pior, deixamos de pensar no trabalho escravo por causa de uma dessas, neah??? Rsrsrsrs Beijossssssssssssss

    1. oi michele,

      em geral, os convites para desfiles sao as marcas que dao, mas tem que soliticar para as assessorias antes. eu mesma nao vou ver nenhum desfile, eu cubro os backstages

      boa sorte!

      bjs

  6. Ameeeeeeei seu post, seu blog, sua atitude… Seu blog vai agora para minha lista de “favoritos”.
    Estou estudando muito p/ um concurso público e o que mais me distrai nas minhas folgas é ler sobre moda. Mas lendo os blogs mais famosinhos, eu acabei me perguntando: “Peraí. Sou eu que sou pobre demais, ou são essas meninas que são muito ricas?” Elas tem muito bom gosto, mas as dicas que dão são inacessíveis!!!. Agora vejo que não sou só eu que penso assim!
    Bjos e continue assim.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s