100 years of style – estilo a estilo

A Inglaterra, assim como outros países europeus, não é um lugar com muitos shoppings. Quando estive por lá, no fim do ano passado, rodei muito e só vi um, um da rede Westfield, não me lembro em qual bairro. E, talvez por essa pouca força no mercado por lá, essa rede fez uma das campanhas mais comentadas ultimamente no meio da moda – e até fora dele – para anunciar a inauguração do Westfield Statford City.

O vídeo 100 years of Style – East London – já é notícia velha, eu sei. Mas achei tão genial que não poderia de deixar de comentar aqui. Ainda mais eu, apaixonada por história da moda e ainda mais pela capital britânica.

A trajetória da história que eles fazem não é só de moda. Porque moda é só um aspecto da nossa cultura, da nossa história – embora muitos tratem como um mero commodity ou item de futilidade (muitos dentro do próprio mundo, muitos fãs desse mundinho, que fique claro). O vídeo, em pouco mais de 1m40, consegue passar 100 anos de moda, música, comportamento.

E é uma aula genial para se visualizar o que aprendemos teoricamente em história da indumentária. É incrível também as transições por épocas e estilos.

Também é um ótimo exercício para perceber como a moda masculina mudou pouco até os anos 50, quando eles se viram mais livres para experimentar e ousar dentro dos estilos de cada época ou tribo.

Por ter gostado tanto, tive um mini-trabalho de corna de dar print em frames de todas as épocas e estilos retratados pelo vídeo, para comentar com vocês aqui. Vamos lá?

1911 – Década de 10. É a época da Belle Époque. A era Vitoriana e sua caretice acabaram, mas ainda deixam resquícios. A mulher ainda não se viu livre do espartilho e a silhueta ampuleta do fim do século XIX ainda deixa seus rastros.

Muitos livros de História da Moda destacam que o estilis Paul Poiret foi um dos responsáveis por libertar a mulher dos espartilhos, mas muitos omitem outro fato que simplificou o vestuário feminino: a 1ª Guerra Mundial. O efeito dessa guerra foi muito menor que o da 2ª na história da indumentária, mas também teve suas consequências. Com a guerra, as mulheres foram para o mercado de trabalho e roupas elaboradas não tinham mais a ver com suas realidades. Por isso, o conjunto de casaco e saia mais curta, sem espartilho e sem acessórios, e chapéus e outros acessórios menores e mais práticos entraram na moda nessa época:

Anos 20 e os anos loucos entre-guerras. A saia sobre, a cintura desce. Cabelos curtos, influência Art Déco. No final da década, o glamour do estilo da década se intensifica – all that jazz!:

Década de 30 e tempos sombrios se aproximam. Mas a moda e outras áreas são escapistas. As mulheres voltam a ficar mais femininas e românticas, a silhueta se aproxima das formas do corpo, os tecidos são leves, esvoaçantes, e brilhantes.

Esse último look já é uma transição entre 30 e 40 – início da 2ª Guerra:

E assim chega a 2ª Guerra mundial e a década de 40. Tempos duros e de racionamento. As roupas eram remendadas e a mulher adota um visual ainda mais prático.

É bonitinho que o vídeo faz essa alusão à Guerra não só no uniforme do homem, mas na hora que ele some (pro campo de batalha) e a mocinha fica sozinha:

E… tcharan! O estilo dela se transforma – mostrando um pouquinho também da influência que a Carmen Miranda teve na moda (turbantes e plataformas). E, pela primeira vez no vídeo, a mulher usa calça comprida:

E, para finalizar os tempos de penúria e a década, traje inspirado no New Look, do Dior:

Então vem os anos 50, estilo college e lady like, mas também mais rocker do finzinho da década, já com muitos elementos da próxima: cabelos desfiados, silhueta ajustada, calça cigarrete, jaqueta de couro, look rebelde (aliás, a Amy Winehouse sempre dizia que tirou inspiração para o seu visual dessa época de transição dos anos 50 pros 60), e de inspiração beatnik.

Passados os anos de dificuldade do pós-guerra, a Inglaterra, assim como o resto da Europa começa a viver tempos de eferveção cultural. Os existencialistas e intelectuais franceses influenciam o estilo sóbrio do início da década. Os Beatles são os reis do “ie ie ie” e trazem com eles uma série de outras bandas que popularizam o estilo mod, assim como a modelo e ícone Twiggy. Londres é A cidade – Swinging London! It’s all happening!

Final dos 60, início dos 70 e Londres vê o fenômeno da marca Biba influenciar a moda (estilo da bailarina na primeira foto). O estilo da moda masculina começa a incorporar elementos femininos, algo mais rebuscado (engraçado é que até os músicos do Pink Floyd se vestiam assim, como o cara no vídeo). Depois, o movimento hippie dita a moda: flower power, influência oriental.

E agora a velocidade de mudanças de estilos do vídeo vai aumentando, assim como na história da moda. A divisão por décadas não é mais convincente – são muitos estilos, um para cada lifestyle.Por isso, os punks se mesclam com o disco e o estilo black is beautiful.

E aí o vídeo comexa um remix entre new romantics, poderíamos chamar assim, do final dos 70, início dos 80:

À moda jovem com fooorte influência das décadas de 40 e 50 – que voltaram pra moda nos 80

A um estilo mais sofisticado e yuppie, com referências às criações de estilistas como Armani e Mugler (e a coreografia de Vogue, da Madonna):

Aí chegam os 90 e a força do streetwear com essa mistura meio grunge, meio pop (parece roupa de cantores de rap dessa época, não? Mega colorido):

Uma versão mais básica, mais “mauricinha” – aliás, não lembra o figurino de “Barrados no Baile”?

E já na virada pra 200, força do estilo dos skatistas e muito utilitarismo

E aí o vídeo termina com a época atual, com três looks que mostram como a moda pós-moderna que vivemos hoje nada mais é que um patchwork de releituras do passado e de outras culturas.

Genial, né?

6 opiniões sobre “100 years of style – estilo a estilo”

  1. Ah cara, você é linda demais!
    Essa campanha é genial e seu post é um complemento e tanto!
    Muito legal ler as suas observações.
    Beijoos

  2. Adorei o vídeo, confesso que não tinha visto ainda. Mas gostei ainda mais da explicação detalhada da história x moda, tanto tanto que coloquei o vídeo lá no blog e indiquei a leitura aqui para o seu. Obrigadíssima pelas informações!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s