bowie3

40 anos de Ziggy Stardust

Acho que estou algumas semanas atrasadas para falar dos 40 anos do álbum icônico do David Bowie – The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars – mas não estou nem aí: vou postar sobre ele de qualquer forma, rs.

A história do álbum é meio louca: o extraterrestre Ziggy Stardust vem para a Terra tentar salvá-la da destruição que será em cinco anos (“Five Years”, faixa que abre o disco). Mas, no meio dessa jornada, ele se rende às perdições do rock, forma uma banda com os Spiders from Mars e se torna uma estrela. A Terra acaba não sendo destruída, mas Ziggy sucumbe e se mata. Bom, não dá pra entender tudo isso só ouvindo o disco, mas foi a explicação da época.

O mais doido é que dizem que o Bowie realmente encarnou o personagem, em perfomances que foram até o ano seguinte do lançamento do disco.

Outro dia, um amigo que gosta muito de música, mas não é muito fã do Bowie me questionou o motivo desse disco ser tão aclamado – aliás, do cantor ser tão falado assim. Bom, não é tão famoso quanto um Beatles, mas foi um marco pra época e exerce influência cultural até hoje, fugindo do mundo da música e chegando até à moda, por exemplo. Também, com um conceito e uma história tão loucos como essa, não dava para passar incólume ao Ziggy Stardust (a forma mais simples de chamar).

O visual andrógeno e exagerado que Bowie adotou para viver o ET foi referência para movimentos e estilos dos anos seguintes, como foi o caso do Glam Rock. Também influenciou estilistas, marcas e inúmeros editoriais de moda (aliás, o Caderno Ela, do Globo, fez um bem bacana em comemoração aos 40 anos).

Kate Moss como Ziggy na capa da Vogue Paris

OBS IMPORTANTE: A foto do Bowie com raio no rosto NÃO É do Ziggy – já é outro disco e outra persona, Aladdin Sane.

Bom, além do visual absurdete, as músicas são muito boas, daquele tipo de disco que você houve do começo ao fim e com vários clássicos, como Starman. Reuni aqui algumas das minhas preferidas, interpretadas pelo próprio Bowie, e algumas também por artistas contemporâneos, pra verem como continuam atuais:

Five Years

Moonage Daydream (que tem uma das melhores frases do mundo: I’ll be a rock’n roll bitch for you)

It Ain’t Easy

Soul Love (amo o verso “Love is careless in its chosing”)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s