Conheci Inhotim! E me apaixonei

Acabei de tirar férias e, no feriado de Finados, finalmente consegui realizar um sonho (simples, porém muito sonhado): conhecer Inhotim.

Inhotim é um Instituto de Arte Contemporânea e também um Jardim Botânico, mas em poucas palavras, é um dos lugares mais incríveis que já vi na vida. Planejava essa ida com uma prima desde 2010, mas só agora conseguimos combinar as vidas e ir. Nossa, como valeu à pena.

 2012-11-03 16.22.34

inhotim 01

inhotim 02

inhotim inhame preto

Ele fica localizado em Brumadinho, um pequeno município próximo de Belo Horizonte. Imaginem um parque imenso, com plantas maravilhosas e raras, plantadas num projeto incrível de paisagismo. No meio disso, obras de arte espalhadas por esse espaço – ao ar livre, ou dentro de galerias (com projetos arquitetônicos incríveis também). É impressionante o contraste entre as obras e o cenário exuberante, algo que eu realmente nunca vi em lugar nenhum e que, talvez, não exista mesmo em outro lugar.

Fora isso, o atendimento de todos os funcionários é imensamente simpático, atencioso e inteligente. Não fiz a visita guiada, mas se perguntávamos para um monitor nas galerias ou nas obras, eles respondiam tudo, com observações interessantes, tornando a visita ainda mais legal. Tudo isso com aquele sotaque mineiro que eu tanto amo e que me é tão familiar (minha família é mineira).

Não vou citar todas as obras que vi por lá e gostei para não estragar a surpresa de quem for, mas queria destacar a galeria da Lygia Pape, a obra poética e emocionante da Marilá Dardot, a Cosmococa do querido Hélio Oiticica, as galerias do Tunga e da Adriana Varejão.

18485_4374423432429_221573154_n

387859_4383040247844_1587789425_n

inhotim marila dardotMas não posso deixar de descrever a obra que mais me impactou: Forty Part Motet, da Janet Cardiff. Não sei porque uma instalação sonora tenha me provocado uma reação física (arrepio no corpo todo, chorei imediatamente que entrei na sala) num lugar tão visualmente exuberante, mas a verdade é que foi um baque. Talvez porque a música é a arte que mais me toque.

O que é a Forty Part Motet? Numa sala, 40 caixas formam um círculo e ecoam 40 vozes de um coral cantando a obra Spem in Alium, de Thomas Talis. De acordo com a descrição do Inhotim, o moteto é um tipo de composição polifônica medieval para oito coros de cinco vozes e essa é conhecida como uma das mais complexas obras polifônicas para canto coral. Realmente, é uma coisa difícil de descrever as vozes se sobrepondo num caos lindo. Para realizar sua obra, Janet usou microfones individuais gravando cada integrante do coral da Catedral de Salisbury,  trabalhando com vozes masculinas e uma soprano infantil. Cada caixa sai uma dessas vozes. Sério, impressionante (tem no youtube, mas não aconselho a ouvirem. O importante é ter o impacto surpreendente de se entrar nessa sala).

Além de me perguntarem o que eu achei do Inhotim, as pessoas me perguntam coisas práticas: como ir, o que comer, etc. Por isso, também resolvi incluir uma parte de serviços, vamos lá!

Onde ficar?

Eu e minha prima nos hospedamos na casa de uma tia em BH. Mas no site do Instituto existe um guia de lugares para se hospedar em Brumadinho, a cidade onde ele fica. Mas ó: não rola ir andando do centro da cidade pra lá, bom avisar. Vale se informar como ir das pousadas pro parque.

Como chegar?

Quem está em Belo Horizonte, como era o nosso caso, pode pegar o ônibus que sai da rodoviária da cidade para o Inhotim. A viação é a Saritur e o horário de saída é 9h00, voltando 16h30 (de ter a sex, hora que o parque fecha), e às 17h (Sab, dom e feriados, mesmo horário de fechamento também).

Onde comer?

Lá tem opções pra todos os gostos: de um restaurante mais sofisticado a um à quilo muito legal e gostoso, o Oiticica, onde almoçamos no primeiro dia. No segundo, comemos numa pizzaria, muuuito gostosa. Fora isso, Inhotim tem lanchonetes e cafés espalhadas por lá, além de bebedouros com água fresca.

Como conhecer o parque?

Se você puder, aconselho a reservar mais de um dia para conhecer tudo. Eu e minha prima fomos em dois dias e vimos 100% do Instituto. E andando! Não contratamos o carrinho de golf que eles disponibilizam (na época que eu fui, estava R$ 20 para usar o dia todo) porque queríamos andar mesmo. Não foi difícil, não se deixe levar pelo mapa. Mas, para quem não puder ficar mais de um dia, aconselho a usar o carrinho – para poupar tempo.

inhotim

O que vestir?

Achei muito engraçado que tinha muita gente dando carão lá de sapatilha e roupa mega produzida. Ok, Inhotim pode até estar virando coisa de hipster, mas vá para a guerra: tênis bom de andar (até porque tem obra que você anda no caco de vidro), roupa fresca no verão e casaco no inverno. E, se estiver calor, leve roupa de banho. Existem duas obras que são “nadáveis”. Se eu soubesse disso antes, teria me divertido ainda mais!

Fora isso, CONHEÇA Inhotim. POR FAVOR! Isso não é post pago, ninguém de lá sabe quem sou eu ou que eu estou escrevendo isso. É puro amor mesmo! Com certeza, vai ser uma das experiências mais bacanas da sua vida!

4 opiniões sobre “Conheci Inhotim! E me apaixonei”

  1. Maravilhoso! Sei que um dia você vai querer voltar… e quando quiser, por favor me chame. Inhotim é um lugar enigmático pra mim, sei lá, parece que a minha alma mora lá ha tempos.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s