Arquivo da tag: carnaval

Fantasias de Carnaval com ajudinha do Pinterest

Alô povão, agora é sério!

Blog está abandonado, mas o Mestrado e afazeres profissionais me prendem o tempo. Mas voltar a alimentar regularmente o Bainha está em uma das minhas resoluções de 2014! Urra!

Já que o Mestrado está direcionando meu foco, vou juntar o assunto da minha pesquisa com uma paixão minha que nesta época fica mais aflorada: Pinterest + Carmaval! Essa rede social de coleção e troca de imagens pode ser uma boa fonte de ideias para fantasias para curtir a folia e eu tenho até história pra contar. Como quem acompanha o blog sabe e quem não sabe pode ler nos posts que vou deixar linkados no final, eu gosto muito dessa festa e adoro me fantasiar. Sempre procuro inspiração em livros que tenho em casa de história da moda, nas minhas coleções de fotos antigas e, claro, na Internet.

Em 2012, recebi uma foto de uma menininha fantasiada de pavão, numa roupa totalmente Do It Yourself, ou DIY ou, no bom e velho português, Faça Você Mesmo. Me apaixonei e me inspirei naquela saia para criar uma versão adaptada para o verão carioca. A foto era essa:

peacock

Eu, minhas amigas, minha mãe e a mãe de uma delas tivemos um mega trabalho de comprar tecidos e costurar as penas de feltro para fazer a fantasia, mas ficou lin-da! No Carnaval daquele ano, desfilávamos felizes pelo Boitatá quando vimos outro grupo de amigas com a MESMA fantasia. Morremos de rir! Elas pegaram a mesma foto como inspiração. Mas, como cada grupo fez sua releitura, a fantasia ficou relativamente diferente. Não vou colocar foto aqui porque, vocês já sabem, quem copia minhas fantasias leva uma praga imensa nas costas, hein!

Essa história me fez entrar no Pinterest (fonte da foto acima), me apaixonar e fazer dele meu lugar antropológico. Mas continua fonte de ideia carnavalesca também. Ano passado, montei uma fantasia inspirada em banhistas da década de 20, mas bem colorida porque, afinal, é Carnaval.

540990_10151201574667817_1789177617_n

Minha versão (foto anti-cópias, só no mistééério):

295030_10151278872932817_457536515_n

*   Para pinçar alguma ideia no Pinterest, pode digitar “costumes” na busca do site. Aconselho sempre a usar o termo em inglês porque cerca de 70% dos seus usuários é dos EUA. Vejam com seus olhos: http://www.pinterest.com/search/pins/?q=costumes.

* Outra tag que tem muitas ocorrências é “halloween costumes”, ó: http://www.pinterest.com/search/pins/?q=halloween%20costumes. Porque eu acho brega brasileiro levar o Halloween pra valer, mas os gringos são bons de inventar fantasia! Só adaptar para nosso clima.

*       Ou então, caso você já tenha algo em mente, digite o que pensou na busca (de preferência traduzido, como eu disse) e vai achar um monte de de ideia legal também. Por exemplo, pavão: http://www.pinterest.com/search/pins/?q=peacock%20costume.

* Também costumo procurar ilustrações ou fotos antigas como para uma fantasia de melindrosa: http://www.pinterest.com/larissalu/20s/.

Mas, se vocês ainda não estão convencidos, peguei algumas imagens inspiradoras, ó:

Mimooous:

mimous

Os Pássaros:

the birds

Twitter:

twitter

E essa, que eu MORRI! Do filme Madeleine:

madeleine

 

**** POSTS SOBRE CARNAVAL:

Coletânea de posts sobre o assunto

Karaokê de marchinhas

Anúncios

Carnaval: Karaokê de Marchinhas

Dizer que o Carnaval de Rua do Rio de Janeiro renasceu a essa altura do campeonato é chover no molhado: já tem mais de 10 anos que os blocos de rua antigos ganharam novos foliões, a cidade ganhou novos blocos e a cidade atrai até mais turistas para esse tipo de folia do que para a Marquês de Sapucaí.

2cbf245434dd85eda183d3bfa3890c12

Agora bloco de cover de algum estilo musical está na moda, mas a maioria ainda canta as antigas e tradicionais marchinhas de Carnaval, aquelas que foram top hits das rádios nos anos 20, 30, 40, 50, os anos de ouro do Carnaval. Todo ano, rolava disputas para ver qual seria A marchinha da vez e compositores do naipe de Noel Rosa se empenhavam por esse título com suas criações. Com a volta do Carnaval de Rua, elas voltaram para a cabeça e o coração de uma geração que, até então, mal conhecia a maioria.

Mas, MESMO ASSIM, percebo que a muita gente não sabe as letras das marchinhas.

Sim, pode ser – e é! – ranhetice minha, mas eu acho um absurdo alguém que se diz fã do carnaval não saber que aquela marchinha do Arlequim que está chorando pelo amor da Colombina no meio da multidão é Máscara Negra, do Zé Keti e Pereira Mattos. Alguém tem obrigação de saber? Não, mas poderia pelo menos prestar atenção pra cantar no bloco, não? Pessoa mais sem interesse. Eu sei as letras de muitas marchinhas porque minha mãe sempre cantou pra mim ou comigo e ela tem mais de 70 anos, então tem um bom repertório. AMO marchinha, pra mim é MPB do mesmo jeito.

Pior são aqueles que cantam com letra de torcida de futebol. AÍ É QUERER ME MATAR DE ÓDIO. Mermão, eu não sou paulista, que mistura Carnaval com futebol, valeu? Me perdoam os paulistas, mas isso é impensável. Tipo o que fazem com o samba-enredo Festa Profana: “Oi joga água que é de cheiro, confete e serpentina, vou dar porrada na torcida xxxx”. Sério, vai embora do meu bloco? Vaza!

Por isso, decidi me dar ao trabalho de colocar aqui as letras das minhas marchinhas preferidas. Vem gente, cantem junto com os vídeos do Youtube, me deem esse gosto de ouvir o coleguinha do lado de bloco cantar a letra certa e reviver não só a festa, mas também essas composições lindas e autores:

MÁSCARA NEGRA (Zé Keti e Pereira Mattos)

Tanto riso, ah, quanta alegria
Mais de mil palhaços no salão
O Arlequim está chorando pelo amor da Colombina
No meio da multidão

Foi bom te ver outra vez
Ta fazendo um ano
Foi o carnaval que passou
Eu sou aquele Pierrô
Que te abraçou e te beijou meu amor
A mesma máscara negra que esconde seu rosto
Eu quero matar a saudade
Vou beijar-te agora
Não me leve a mau,
Hoje é carnaval

TOURADAS EM MADRI (Braguinha)

Eu fui às touradas em Madri
E quase não volto mais aqui
Pra ver Peri beijar Ceci.
Eu conheci uma espanhola
Natural da Catalunha;
Queria que eu tocasse castanhola
E pegasse touro à unha.
Caramba! Caracoles! Sou do samba,
Não me amoles.
Pro Brasil eu vou fugir!
Isto é conversa mole para boi dormir!

AS PASTORINHAS (Noel Rosa e Braguinha) – eu até choro nessa, maravilhosa

A estrela Dalva
No céu desponta
E a lua anda tonta
Com tamanho esplendor…
E as pastorinhas
Pra consolo da lua,
Vão cantando na rua
Lindos versos de amor.

Linda pastora,
Morena da cor de Madalena…
Tu não tens pena de mim,
Que vivo tonto com teu olhar.

Linda criança,
Tu não me sais da lembrança…
Meu coração não se cansa
De sempre e sempre te amar.

AURORA (Mário Lago-Roberto Roberti)

Se você fosse sincera
Ô ô ô ô Aurora
Veja só que bom que era
Ô ô ô ô Aurora

Um lindo apartamento
Com porteiro e elevador
E ar refrigerado
Para os dias de calor
Madame antes do nome
Você teria agora
Ô ô ô ô Aurora

CHIQUITA BACANA (Braguinha)

Chiquita Bacana lá da Martinica
Se veste com uma
Casca de banana nanica.

Não usa vestido, não usa calção;
Inverno pra ela é pleno verão.
Existencialista (com toda razão!),
Só faz o que manda o seu coração

ALLAH-LA-O (Antonio Gabriel Nássara e Haroldo Lobo)

Allah-lá-ô, ô ô ô ô ô ô

Mas que calor, ô ô ô ô ô ô
Atravessamos o deserto do Saara
O sol estava quente
Queimou a nossa cara

Viemos do Egito
E muitas vezes
Nós tivemos que rezar
Allah! allah! allah, meu bom allah!
Mande água pra ioiô
Mande água pra iaiá
Allah! meu bom allah

MULATA YÊ YÊ YÊ (João Roberto Kelly)

Mulata bossa nova
Caiu no hully gully
E só dá ela – NÃO É E SÓ DA FOGO, MENGO, NENSE, VASCO E O CA%$#(&, OK? SÓ DÁ A MULATA!
IÊ, iê, iê, iê, iê, iê, iê, iê
Na passarela

A boneca está
Cheia de fiufiu
Esnobando as louras
E as morenas do Brasil

CACHAÇA NÃO É ÁGUA NÃO (Mirabeau Pinheiro, L.de Castro e H.Lobato)

Se você pensa que cachaça é água?
Cachaça não é água não,
Cachaça vem do alambique,
E água vem do ribeirão.

Pode me faltar tudo na vida,
Arroz, feijão e pão,
Pode me faltar manteiga,
E tudo mais não faz falta não.

Pode me faltar amor,
Disto até acho graça,
Só não quero que me falte,
A danada da cachaça

SACA-ROLHA (Zé da Zilda e Zilda do Zé)

As águas vão rolar,
Garrafa cheia eu não quero ver sobrar,
Eu passo a mão no saca-saca-saca-rolha,
E bebo até me afogar!

Se a polícia por isso me prender
E na última hora me soltar,
Eu passo a mão no saca-saca-saca-rolha
E bebo até me afogar

TURMA DO FUNIL (Braguinha)

Chegou a turma do funil
Todo mundo bebe
Mas ninguém dorme no ponto
Ai, ai ninguém dorme no ponto
Nós é que bebemos e eles que ficam tontos

Eu bebo, sem compromisso,
com meu dinheiro, ninguém tem nada com isso
Aonde houver garrafa, aonde houver barril
Presente está a turma do funil

E aí, querem mais?

Quero ver todo mundo acabar o carnaval rouco que nem eu de tanto cantar essas pérolas.

A poesia de D. Ivone Lara

Meu coração carnavalesco
Não foi mais que um adereço
Teve um dez em fantasia
Mas perdeu em harmonia

Aproveitando que o Carnaval taí já, vim falar de uma grande admiração, juntando música e o universo feminino, coisas que tanto gosto de falar. Apesar de ser um campo com grandes damas: das tias dos morros,  cantoras, baianas, porta-bandeiras, passistas, rainhas e madrinhas de baterias; o samba já foi um ambiente muito machista. Claro, um reflexo da sociedade, como qualquer outra manifestação cultural.

Na confecção das grandes obras, os homens sempre estiveram à frente e não havia muito espaço para mulheres. Mas uma carioca nascida em 1921 veio para quebrar esse tabu com seus sambas de melodias sinuosas e letras de extrema sensibilidade – Dona Ivone Lara.

 donaivone

É de D. Ivone o trecho acima, composta junto com Jorge Aragão (Enredo do Meu Samba) e tantas outras pérolas da nossa música. Mas nem sempre seu talento foi reconhecido. Quando começou a compor, em meados da década de 40, quem apresentava suas músicas para o pessoal da escola de samba Prazeres da Serrinha era seu primo Fuleiro (conhecido como Mestre Fuleiro, grande figura da Império Serrano). Sambas feitos por uma mulher não seriam levados em consideração pela ala dos compositores da escola.

Quando se casou com o presidente da escola, pôde mostrar seu dom como sambista, firmando parcerias com grandes mestres como Silas de Oliveira e Aniceto. Em paralelo, era enfermeira e assistente social. Suas músicas foram gravadas por nomes como Paulinho da Viola, Beth Carvalho, Jorge Aragão, Maria Bethânia, Gal Costa, Marisa Monte, entre tantos outros. Hoje, apesar de já bem velhinha, continua atuante. Lembro que no Carnaval de 2011, fez um show na Lapa.

Dona Ivone Lara Foto

Acho suas letras de sensibilidade feminina, parece que ela te entende. Assim como Paulinho da Viola, é uma ótima companheira para quando não estamos lá muito alegres porque dá uma injeção de ânimo.

Mas vamos deixar de blablablá e colocar vocês pra ouvirem algumas de suas músicas (escolhi minhas preferidas):

Tristeza rolou nos meus olhos do jeito que eu não queria
E manchou meu coração, que tamanha covardia
Afivelaram meu peito pra eu deixar de te amar
Acinzentaram minh’alma, mas não cegaram o olhar
Saudade amor, que saudade
Que me vira pelo avesso, e revira meu avesso
Puseram uma faca no meu peito
Mas quem disse que eu te esqueço
Mas quem disse que eu mereço

 

Também tem essa com gravação clássica da Gal e Bethânia (aqui um vídeo com a própria dona Ivone e ainda com a violonista Rosinha de Valença):

 

E mais essa, das mais famosas, um ótimo “samba revoltado”, hahaha:

 

E esse vídeo delícia com o Diogo Nogueira, que dona Ivone Lara não é boba e ainda faz charme pra ele:

 

PS.: Gostaram? Tem esse post também sobre a Clara Nunes!

Coletânea de Dicas de Carnaval

Falta praticamente UM mês pra melhor época do mundo:

CARNAVAL!

Como diria um amigo meu, não brinco Carnaval porque é uma coisa muito séria. Quem acompanha o blog há muito tempo, sabe que eu sou super foliã, faço fantasias, uma agenda extensa de blocos de rua.

Por causa disso, muita gente acaba me perguntando 20 mil coisas sobre as fantasias, onde eu compro, etc. Pensando nisso, sempre conto no blog como monto as minhas, dando dicas de como aproveitar coisas que temos em casa, que não é preciso gastar fortunas e também com um guia de compras no Saara, no Rio (desculpa quem não mora aqui! Se tiverem dicas de suas cidades, dividam nos comentários).

Como falta 1 mês para sábado de Carnaval, decidi fazer um resumão aqui com link para todos esses posts. Vem comigo!

P1030200

Coletânea de posts Bainha sobre Carnaval (lembrando que eu jogo uma praga em quem copiar literalmente minhas fantasias – vai passar o Carnaval dos próximos anos num piriri forte! Hahahahaha)

 

GUIA DE COMPRAS NO SAARA

 

MINHAS FANTASIAS DE 2011

 

CARNAVAL 2010

 

INSPIRAÇÃO FANTASIAS 2010

 

CARNAVAL 2009

 

w P1010743

Carnaval de rua no Rio e o Lambe Lambe

Quem me conhece ou quem acompanha o blog sabe que eu sou APAIXONADA por Carnaval. Como diz um amigo meu, eu não brinco o Carnaval porque ele é coisa séria!

Quem, assim como eu, é rato de bloco, já deve ter visto um cara fantasiado de fotógrafo lambe-lambe, como aqueles que, nos primórdios da fotografia, faziam retratos em plena praça pública. Mas, por dentro da caixinha que relembra as antigas câmeras, tem uma bem moderna e que registra momentos do carnaval de rua carioca e nós – os foliões.

Outro dia, estávamos no bloco Fogo & Paixão, quando o encontramos (Esteban é o nome dele? Curioso, pra mim ele já é da galera, hahaha, mas eu nunca perguntei o nome dele! Atualização: Minha amiga Carol acaba de informar que o nome dele é Pedro Esteban, sorry!) e uma equipe de filmagem estava seguindo o Lambe Lambe. Agora descobrimos o porquê: o canal Novo RJ (do governo do Estado, confirma produção?) fez um vídeo sobre seu trabalho e sua história. Muito legal, mostra um pouquinho da alegria e do espírito de “todo mundo é amigo” do nosso carnaval de rua.

E quem é que aparece fazendo bico com óculos falso e camiseta vermelha no início do vídeo? Esta que vos escreve. Com meus amigos malucos e um coelho rosa. É carnaval!

Para quem quiser conferir as fotos do Lambe Lambe, a fonte mais rápida e eficiente é checar a fanpage no Facebook. Em breve, ele prometeu colocar as fotos da folia deste ano.

Algumas aqui:

A nossa foto retratada no filme =]

Eu e meus amigos no Boi Tolo em 2011

Nós e o fotógrafo Lambe Lambe no carnaval de 2011 (Orquestra Voadora)

Viva o Carnaval!

=]

Carnaval antigo no Rio

Quem é leitor do Bainha há algum tempo sabe que eu sou A-PAI-XO-NA-DA por Carnaval. Pra mim, nada é mais legal, incrível, divertido. Amo, amo amo.

Por isso, fiquei super emocionada e com saudades (tenho a campanha “dormir agora e acordar no Carnaval) quando vi esse vídeo americano sobre a festa brasileira. Muito legal ver que as tradições do Carnaval de rua antigo continuam (ou voltaram com força) agora: blocos tradicionais, fantasias divertidas, grupos de amigos com fantasias engraçadas, etc. Muito legal ver também os desfiles de escolas na época, os bailes nos salões.

A única dúvida que fiquei é que dizem no Youtube que o vídeo é de 55, mas mostram o Getúlio, que morreu em 54. Vai entender! rs


 

Quem é você, diga logo

Ainda no clima carnavalesco (que poderia durar o ano todo, né?) uma amiga postou no Facebook o link pra um tumblr com amantes perdidos no Carnaval procurando seus pares. Achei ÓTIMO e quis compartilhar aqui, ó:

Oncinha, cadê você?

Me lembrou a música Noite dos Mascarados, do Chico, né não?

Finalmente: minhas fantasias no Carnaval

Tem gente que posta o look diário, eu faço o look do dia carnavalesco. E sempre com a praga: quem me copiar literalmente ficará liso no Carnaval (para os solteiros) ou vai torcer o pé. Hahahaha!

Vejam só, uma para cada um dos 4 dias:

Sábado: Neste ano, eu e meus amigos saímos de comunidade hippie inspirada em Hair, com direito a algumas performances – que fazem parte do clima sem noção da festa. A gente comprou saídas de praia no Saara e eu misturei com camiseta de oncinha, bolsa de couro, cordãozão, muitas pulseiras, etc. E claro, o perucão black com florzinha, igual à cantora de Age of Aquarius no filme. Ah, quem copiar minha tatuagem, jogo a praga da alergia, cicatriz e traço torto!

Domingo: Eu e minhas amigas resolvemos homenagear Abelardo Barbosa – o Chacrinha! Tudo começou por causa deste pano listrado, que vimos no Saara e nos apaixonamos. Na foto, ainda falta uma amiga, mas escolhi essa porque nas outras não dá pra ver direito a roupa e acessórios. Escondi os rostos delas como sempre faço (mico só eu, né?), mas deixei a minha para mostrar o óculos do Velho Guerreiro. Fizemos MUITO sucesso entre a galere da 3ª idade que encontramos nos blocos e na rua hahaha

Segunda: Dessa vez, fui sozinha, fantasiada de dançarina de show Burlesque ou Piriguete do Século XIX. A cartolinha eu comprei no ano passado. A calcinha, minha mãe e a Isabel (costureira) fizeram. A camiseta é minha e as luvas+meias comprei no Saara. Muito engraçado porque, mesmo com um short super curto, SÓ recebi elogios empolgados de meninas aparentemente fashionistas. #tentativadeserperiguetefail

Obs.: vamu dá um desconto pro sutiã aparecendo né? Depois de morrer no Sargento Pimenta, não dá pra se ligar nessas coisas hahaha

Terça: No último dia, decidi espantar a tristeza com uma fantasia improvisada, mas bem alegre (como mostra minha pose hahaha). Minha saia da fantasia de Colombina do ano passado + camiseta própria com pompons costurados + arquinho de Colombina + meia calça que comprei em Londres cortada para não passar calor. Ah, e meu tênis Beira Rio, um super achado baratíssimo de Carnaval. Alguns desavisados me chamaram de palhaço, mas não levei a mal porque era Carnaval:

E aí, gostaram?

Aproveitem porque é a única época do ano que pago o mico de botar a cara aqui.