Arquivo da tag: mestrado

A milésima volta do Bainha

Tem alguém sumido aí?

Criei o Bainha em 2007 e, desde então já sumi e abandonei o blog inúmeras vezes. Talvez por isso ele nunca tenha virado fonte de renda ou famoso, mas é porque a vida demanda muitas coisas da gente, né?

Dessa vez, foi o Mestrado e a vida acadêmica em geral que me fez afastar. Como pesquiso Consumo e Internet no curso de Mestrado em Antropologia que faço, entrei com uma paranoia que escrever aqui poderia me trazer problemas. Poderiam confundir o que falo aqui com alguma pretensão de artigo acadêmico, etc. Daí fui ficando com medo de escrever, foi me tolhendo as ideias, a liberdade. E blog é para ser livre, né? Pelo menos na sua origem, era. Mas sempre bom dizer, NADA AQUI é acadêmico, é científico, pelamordedeus!

Além disso, o tempo foi ficando cada vez mais escasso, a quantidade de coisas para ler e fazer maior.

Mas não aguentei de saudade. Voltei! Alguém ainda me lê?

Para fazer as pazes com a blogolândia, resolvi trazer o que me tomou as ideias para cá e também quebrar a paranoia com o mundo acadêmico x blog e abordar justamente o assunto que pesquiso, que é o Pinterest. Já falei dele várias vezes aqui, antes e depois do Mestrado. Não quero falar sobre as coisas que pesquiso por lá, o que já descobri, nada. Socorro, já faço isso escrevendo artigos, papers para congressos, etc.

Mas, por conta disso, muita gente vem me falar que tem perfil, mas não sabe usar o site – apesar de ter vontade. Então para ajudar quem tem vontade de usar o site, mas não sabe como, um breve GUIA DO PINTEREST!

GUIA PARA USAR O PINTEREST ATIVAMENTE:

1- Você precisa de um perfil: quando você entra no Pinterest pela primeira vez, a primeira tela que vai ver é esta abaixo. Eu criei o meu perfil a partir do Facebook. Ele vai puxar seus contatos lá e você pode escolher se vai seguir o Pinterest deles ou não. Mas no Pinterest, o lance é seguir perfis que postam imagens que você gosta, não precisa ser amigo da pessoa na “vida real”. Dos 233 perfis que eu sigo, imagino que só 10% deve ser de amigos “reais”.

página inicial 12.05.14

O site criou esse vídeo abaixo para explicar o que ele é. Como pesquisadora, vejo que eles focam muito os usos do site na sua parte prática, como um lugar para buscar inspiração para projetos, compras, viagens. Mas o vídeo é bacaninha:

2- Criando painéis (ou boards): Depois de criar o perfil, o Pinterest vai fazer um tour com você mostrando como é o site. Explicam, por exemplo, o que é um pinPin é o que é postado nos perfis do Pinterest. São imagens que você escolhe para estar ali. Elas são guardadas no seu perfil em painéis que você cria de acordo com suas preferências. O Pinterest sugere alguns temas de painéis para você criar:

começo pinterest 08.01.14 III

Mas você pode criar o painel que quiser. Tem perfis, como alguns que acompanho, que possuem mais de 200 painéis. Sim, duzentos! Faça quantas categorias sua imaginação mandar. Mas se você criar muitos painéis, com temas muuuito próximos e específicos, pode ser que, na hora de navegar pela sua timelineonde aparecem os pins dos perfis que segue, você tenha alguma dificuldade de classificar as imagens que queira pinar.

Os painéis que eu criei foram os seguintes:

meu perfil 31.07.14

3- Sigam-me os bons! Depois de decidir que tipo de foto você quer colecionar, pode escolher os perfis que vai seguir. O site vai te sugerir alguns com base no que você selecionou aí nos painéis. Nessa hora que vocês podem me seguir lá clicando aqui!

Na foto aí de cima, à direita, vocês podem ver minha foto e um balãozinho vermelho. Ali são as notificações que a gente recebe: quem repinou seus pins e quem começou a te seguir, por exemplo. Por causa da correria da pesquisa, não presto muito atenção nessa parte. Mas não se assustem, tem um monte de gente que você nunca viu na vida te acompanhando. É normal, o que importa é a troca de imagens e, além disso, o Pinterest é um território internacional, você troca fotos com gente do mundo todo (principalmente americanos).

4- Timeline e procurando imagens: Depois de decidir quem vai seguir, as fotos que essas pessoas pinam vão aparecer na sua timeline, que parece mesmo um mural de cortiça. É confuso gente, mas vocês se acostumam. Para vem uma foto maior, basta clicar nela. Quando ela abre maior, você pode no canto superior esquerdo o botão de PIN, o CURTIR e um botão que leva ao link original de onde a foto veio (o site de origem). Quando você curte uma foto, ela não vai para o seu perfil. Raramente as fotos são curtidas, o lance é pinar.

Do lado direito da foto, podemos ver ao lado direito mais imagens que a pessoa tem em seu álbum. Se rolar a barra para baixo, você verá o que o Pinterest colocou como “pins relacionados”. Cuidado, é fácil se perder nessa imensidão de imagens!!!

pin fashion 31.07.14

De volta à sua Timeline, no canto superior esquerdo do site você vai ver  o espaço para busca e um botão que leva a um menu que vai mostrar todas as categorias de pins que o site cria. Nesse menu também tem a categoria Popular. Essa categoria, às vezes, tem fotos digamos… polêmicas. Não deveria falar isso como pesquisadora, mas somos todos humanos: às vezes aparecem fotos muito cafonas. Quase nunca utilizo esse menu. Mas utilizo muito a busca para procurar cortes de cabelo, por exemplo. A dica é escrever em inglês, já que a maior parte dos usuários ainda é americana.

começo pinterest 08.01.14 IV

Bom, sem mais delongas e acho que ajudei a ensinar o básico de como usar o site, né?

Aproveitem e até o próximo post! (Próximo mesmo!!!! :D)

Anúncios

O peso da culpa no abandono de um blog

Oi, alguém ainda me lê?

Uma vez, alguém me perguntou porque o Bainha nunca virou um blog famoso e rentável. Eu respondi que era porque eu não tinha isso como objetivo, que era péssima nos negócios e meu foco principal não era ele.

Tá, mas também não precisava abandoná-lo sempre que minha vida desse uma guinada que virasse junto o meu foco, né?

Pois é gente, mais uma vez – para quem acompanha o blog desde 2007, minha vida mudou um cadinho: estou fazendo Mestrado em Antropologia (oooooooooh! hahaha vou pesquisar sobre consumo e internet) e, depois de entrar para a vida acadêmica, além de não ter muito tempo, não consigo mais confabular sobre certos assuntos inocentemente. Será que serei julgada? Enfim, ainda não consigo conciliar as duas personas.

now-panic-cause-i-m-back-8

Mas o pior é que eu me sinto culpada. Essa culpa católica que me faz me achar grosseira ao não responder uma ligação, um convite, uma mensagem ou um comentário aqui ou no Facebook. E me faz achar sacana ou grosseiro ou que está nem aí quem não faz isso.

Então, abandonar o Bainha é um ato de desamor pra mim. Mas eu voltei, voltei para ficar.

Prometo!